Sexta-feira, 18 de Fevereiro de 2011
Rio de Janeiro
Congresso LGBT
OAB realiza o primeiro congresso nacional sobre direito homoafetivo.
por Redação MundoMais

Organizado pela desembargadora aposentada Maria Berenice Dias, em parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Rio de Janeiro sedia entre os dias 23 e 25 de março o I Congresso Nacional Homoafetivo.

O evento conta com os apoios do IBDFAM - Instituto Brasileiro de Direito de Família - através de sua Comissão da Diversidade Sexual e Direito Homoafetivo, da OAB/RJ, e das diversas Seccionais da Ordem dos Advogados do Brasil, através de seus Grupos de Trabalho e Comissões de Diversidade Sexual e Combate à Homofobia.

O Direito Homoafetivo tem se desenvolvido como um novo ramo do Direito, com toda a estrutura de proteção Jurídica que passa pelas relações familiares, de direito pessoal, sucessório, previdenciário, criminal, entre outras. Tudo estará na pauta do Congresso, segundo a organização do evento.

Será uma ótima oportunidade para discutir as questões mais relevantes para a comunidade LGBT.O encontro irá debater uma série de temas, entre eles a criminalização da homofobia, a adoção homoparental, a constituição da família homoparental e a necessidade do código civil abarcar estas uniões, a transexualidade, entre outros.

Um tema que está em alta e que também vai compor uma das mesas é a questão da gestação assistida, que acaba de ser liberada para casais homossexuais.

Para increver-se, entre no site www.oab-rj.org.br

Valor: R$ 230,00.

Para maiores informações, clique aqui ou pelo telefone (21) 2730-6525.

Facebook do MundoMais
Norma para comentários:
Acusações insultuosas e comentários em desacordo com o tema da matéria serão despublicados.
Comentários dos leitores (7)
luiz fernando24/02/2011 21:24
luiz fernando24/02/2011 21:24
Ja esta passando da hora de ter casamentos entre o mesmo sexo,tenho um parceiro e também uma filha e tenho medo do meu parceiro ficar sem nada por isso tem que aprovar logo o casamento entre nos .
Nereu23/02/2011 18:17
Nereu23/02/2011 18:17
Parabéns a desembargadora pelo trabalho.... Afirmo sempre que nossos direitos virão sim.... mas pelo judiciário... esperar algo do legislativo é pura perda de tempo... Enquanto tivernos em nosso congresso, bancadas religiosas, evangélica e católica a coisa não sai... Três profissões que abomino....Padre... Pastor e Político.... agora a coisa piora quando o político é pastor..... aí a coisa pega.... quanto aos padres... não sei se são políticos.... mas a CNBB faz o que quer com a maioria dos políticos eleitos. Viva a hipocresia que reina em Brasília....
Leonardo Salinas20/02/2011 9:28
Leonardo Salinas20/02/2011 9:28
Ígor foi muito feliz no seu comentário. Disse o que precisa ser afirmado. Fico pensando sobre o porquê de os evangélicos terem tanta restrição aos homossexuais, quando sabemos que entre pastores e fieis há muitos de nós, protegidos por terem uma esposa e filhos e gritarem nos templos contra nossa identidade sexual. De uma maneira geral, as confissões evangélicas tem uma teologia e uma ideologia extremamente repressoras. Colocam no cabresto as pessoas, tolhendo e anulando sua sexualidade. Basta observar como se vestem e se comportam esses crentes evangélicos, com um número imenso de exemplos. São extremamente contidos, abafados, reprimidos. É, em muitos casos, pecaminoso e proibido cortar o cabelo, dançar, colocar uma saia ou vestido acima dos joelhos, namorar, se divertir, olhar TV, ir ao cinema. Ou seja, Deus nos livre de pertencer a esses credos. Os escravos, antes da Lei Áurea, viviam melhor, sem dúvida. Pelo menos, a escravidão era declarada, e as pessoas a ela eram submetidas. Hoje, pode-se escolher o culto que se queira professar. Como os homossexuais violam e transgridem toda essa cultura repressiva, com uma liberdade e uma vida em que espontaneidade e prazer dela fazem parte, como algo natural, em inúmeros casos, é compreensível que os evangélicos nos combatam, porque, no fundo, gostariam de ser como somos nós. Só que estão jungidos a uma cultura religiosa da qual não conseguem se safar, por questões de herança genética, interesses profissionais, casamentos, filhos, parentela, estrutura de personalidade, entre outros motivos. Essa é uma tese que deveríamos analisar e ver se ela encontra raízes na realidade. Prato cheio para psicólogos, antropólogos, psiquiatras e psicanalistas, sociólogos e outros especialistas do comportamento humano. Assim, entenderíamos por que certos evangélicos tanto nos agridem e nos rejeitam. Isso não ocorre de graça... Por que será ? Vamos nos debruçar cientificamente sobre esse tema ?
Igor19/02/2011 14:21
Igor19/02/2011 14:21
Esse evento, prova que existem pessoas como essa desembargadora que não estão dispostos a deixar que a justiça seja eternamente míope, ainda mais por se tratar de um assunto tão polemico como esse.Enquanto politicos se lançam em campanha contra nos a favor daquilo que se diz bons costumes, um outro movimento já se adianta para discutir o futuro do relacionamento entre a justiça e a causa LGBT que está prestes a ser reconhecida como uma causa muito justa, a do relacionamento homoafetivo.
Marcos18/02/2011 19:53
Marcos18/02/2011 19:53
A iniciativa é ótima, mas o preço da inscrição é irreal para a realidade econômica brasileira e torna dificil a participação no evento.
Açucena18/02/2011 18:14
Açucena18/02/2011 18:14
A desembargadora Maria Berenice Dias merece todas as nossas homenagens e nosso respeito, além de nossa gratidão. Ela é uma incosteste defensora de nossos direitos. Sua palavra tem autoridade moral para ser ouvida e acatada. Esse evento é mais um tijolo na construção de um conhecimento mais vasto sobre os direitos homoafetivos. Pelo programa do Congresso, dá para notar que questões fundamentais ao nosso bem-estar e à justiça que deve prevalecer em relação à comunidade homossexual serão discutidas. E, ao serem dissecadas, transmitirão conhecimento aos chamados operadores do Direito para que, na hora das decisões, possamos ser beneficiados por critérios de julgamento justos e honestos. Parabéns a essa digna guerreira da Justiça e pela lucidez com que trata essas demandas todas que nos afligem. Como gaúcho, orgulho-me de pertencer ao Estado dessa mulher, de atuação tão nobre. Chega de injustiças. Chega de sermos vistos como cidadãos de segunda categoria. Parabéns a todos os que trabalham com o Direito e que fazem justiça aos injustiçados, inclusive, em muitos casos, NÓS.
Animado18/02/2011 16:28
Animado18/02/2011 16:28
Dô valô!!! rsrsrsrsrsrsrsrsr
Faça seu comentário!
Nome

Faça seu comentário:

LEIA TAMBÉM
LEIA MAIS
22/07/2014 NOTíCIAS » Como podemos (e devemos) agir diante de uma traição? Descubra!
22/07/2014 CINEMA » Pai da computação (e gay) ganha filme em que mostra genialidade na 2ª Guerra Mundial.
21/07/2014 NOTíCIAS » Marcelo Adnet faz sátira e exibe primeiro beijo hétero em novela gay.
21/07/2014 NOTíCIAS » Modelo canadense chama atenção pelo belo corpo e rosto tatuados. Vem ver!
18/07/2014 NOTíCIAS » Macedônia aprova lei que proíbe o casamento gay.
18/07/2014 SAúDE » Entenda como o aeróbico em jejum (AEJ) pode ajudá-lo a emagrecer.
17/07/2014 NOTíCIAS » Ex-Menudo aparece bombado e cantando Madonna em vídeo viral. Vem ver!
17/07/2014 NOTíCIAS » Jogador de rúgbi suspenso por homofobia tem encontro com time gay.
Twitter
Facebook
© Copyright 2013 MundoMais. Todos os direitos reservados.