Sexta-feira, 13 de Maio de 2011
Você gosta de homem ou de mulher?
Vice-diretora baiana é exonerada do cargo após questionar orientação sexual de aluno de 11 anos.
por Redação MundoMais

BAHIA - Foi exonerada do cargo nesta sexta-feira (13) a vice-diretora da Escola Estadual Armandina Marques, Magnólia Oliveira, que perguntou a preferência sexual de um aluno de 11 anos. A orientação repassada a todos os gestores de escolas públicas é de atuação pedagógica na perspectiva de construção do indivíduo e sua cidadania, com inclusão social, de gênero e de respeito à diversidade, informa nota da Secretaria de Educação do Estado da Bahia.

A ex-gestora Magnólia suspendeu o aluno por dois dias após ter flagrado a criança, segundo ela, “fazendo ousadia e indecência” com um colega, na última sexta-feira (6). “Eu estava balançando a cabeça de um colega e a vice-diretora perguntou se eu gostava de homem ou de mulher”, relata a criança.

O tal colega não foi suspenso porque a então vice-diretora compreendeu que ele estava sendo assediado. Magnólia ainda escreveu uma carta para a mãe do garoto o chamando de “menino indecente” e repetindo a pergunta sobre a preferência sexual.

Ela perguntou a ele se preferia o sexo feminino ou masculino e no final me mandou prestar atenção no meu filho. Eu acho que nessa carta, ela afirmou o que disse ao meu filho. Porque ela me mandou prestar atenção nele? Eu sei o sexo dele. Ele é uma criança!, desabafou a mãe do garoto, que não quis se identificar.

Em entrevista à TV Bahia na última quinta-feira, Magnólia admitiu que fez o questionamento para a criança. “Meu filho, como é que você faz um negócio desses? Você gosta de homem ou de mulher? Você é uma criança!. Eu redigi para que a mãe conversasse com seu filho”, explicou a diretora.

Magnólia é concursada e continua na Secretaria da Educação, atuando como professora.

Assista a entrevista:

Norma para comentários:
Acusações insultuosas e comentários em desacordo com o tema da matéria serão despublicados.
Comentários dos leitores (46)
Mari18/06/2011 18:46
Mari18/06/2011 18:46
..A Diretora errou sim. Mostrou despreparo e não deveria ocupar o cargo de educadora. Quanto ao comentário do Jacko, engano seu, pois temos excelentes educadores em escolas públicas. Um erro não deve ser pago com outro.
jeas23/05/2011 18:45
jeas23/05/2011 18:45
Vocês estão comentando o que a mídia disse, e o que foi editado e como é sabido a impressa gosta de vender notícia principalmente quando ela gera sensacionalismo, com a mesma perspicácia que julgamos poderíamos analisar os fatos, não pelo que outros dizem e a forma como dizem para apóia seus conceito.Por isso é bom refletir a razão pela qual temos dois ouvidos e uma boa.
Miss Potter17/05/2011 0:01
Miss Potter17/05/2011 0:01
Ela,, é feia...
Paulinho BSB16/05/2011 16:00
Paulinho BSB16/05/2011 16:00
A mulher errou feio, mas não há motivo pra ficarmos transtornados e tão revoltados. Concordo com quem disse que ela não devia ter perguntado e também com o aquele que considera tratar-se apenas de um deslise. Ela devia se preparar melhor pra exercer esta profissão. Realmente, como falou o Tiago, lá no começo, se fosse crime, todos seriam mais cuidadosos nessas questões. Penso que deve sim, haver uma campanha nos moldes da que o MEC quer promover nas escolas e o melhor é ir direto e bem profundo. Ao contrário do pensamento dos gays que se consideram de jeito masculino, isto, ao meu ver, será feito de maneira mais eficiente, se mostrarem, de cara, os mais discriminados. Desta forma beneficiará à toda a diversidade do meio gay. Os másculos causam menos estranheza, inclusive por serem maioria. Concentrar a campanha neste segmento será menos eficaz, se levarmos em conta o sentido de minoria. No que se refere ao preconceito, os efeminados são a minoria da minoria.
kyle16/05/2011 15:05
kyle16/05/2011 15:05
bem feito, não tem que perguntar nada. deixa a criança quieta
Rico16/05/2011 12:39
Rico16/05/2011 12:39
Lucas vc é muito ingênuo, ou faz parte da cambada homofóbica que luta contra as leis e veem a sites como esse destilar seus venenos travestidos de gays masoquistas que adoram sofrer. A canalhice é tão grande que usam de inverdades como o Kit do MEC ser distribuído para menores ou querendo transformar nossos filhos em gays. Se vc é homossexual vc sabe muito bem que nasceu assim. Se tem dúvidas já sei que vc tem problemas e participa dessas igrejas fundamentalistas para alienar pessoas. O fato é que se não houvessem os movimentos e as cobranças por igualdade, jamais vc veria pessoas que agridem serem punidas. Não confunda democracia, com estado democrático de direito. Leia antes o significado dos termos para não vir falando besteiras!
lucas16/05/2011 9:48
lucas16/05/2011 9:48
Palhaçada viu, agora todo mundo vai se fazer de vitima e querer se defender nas leis. tomara q nao saia constituiçao nenhuma p isso. Já tem as q todo mundo tem q seguir mesmo. Ou todo mundo aqui vive no mundo da lua e quer ser respeitado por isso. Só falta fazerem a lei priscilla da penha agora. Engraçado, quando falam de afetados, sao femininos sensiveis, mas p levantar a mao p bater tem a mesma força q qualquer homem. entendo muito bem a parte da discriminaçao, mas já tem leis p isso elas só devem ser cumpridas normalmente quando sao para nós. nao tem q fazer lei nenhuma só da atençao para o publico gltb dentro delas. somente isso.
Bruno16/05/2011 1:36
Bruno16/05/2011 1:36
só pode ser sapatão essa porra homofóbica! _|_
De Edu para Bruno16/05/2011 1:18
De Edu para Bruno16/05/2011 1:18
Ela errou em vários sentidos cara, até no português que dirá no julgamento ético! "Ouzadia" foi ela ter mandado a carta para a mãe do garoto da forma que foi redigida!
Bruno15/05/2011 21:26
Bruno15/05/2011 21:26
Também sou professor, moro em Salvador e dou aula para colégio estadual, assim como essa vice-diretora, que é de Salvador e trabalhava em colégio estadual. Não a conheço. Mas eu presencio igualmente como a sexualidade está se tornando muito precoce e muito banal entre meus alunos. Ano passado uma menina foi expulsa depois de ser flagrada transando com dois meninos ao mesmo tempo, no banheiro. Todos com menos de 14 anos E existem alunos gays dessa idade que metem a mão na calça dos outros. Mas são tantos problemas, tantas crianças para dar conta, que muitas vezes se faz vista grossa para coisas desse tipo. A vice-diretora não foi homofóbica. Eu sei o caos que constitui as escolas estaduais daqui, porque já trabalhei em várias, e os alunos de hoje dão muito trabalho, porque uma boa parte não tem sequer educação doméstica. O que mais existe num colégio estadual é TRABALHO e coisas a se ocupar. A vice-diretora fez o que tinha de ser feito. NINGUÉM tem direito de assediar sexualmente os colegas, hetero ou gay que seja. A vice-diretora agiu bem. Ela também comunicou por escrito a mãe do garoto. Qual o problema? O aluno não foi punido por ser gay.Foi punido por ter abusado do colega. Ela não reclamou dele ser gay. Perguntou se ele era gay ou hetero... Acaso querem transformar agora a causa gay numa ditadura? Vão fazer disso um dogma, assim como os judeus transformaram o antisemitismo, onde não se pode falar nada, sob pena de ser detratado de nazista?
Magno15/05/2011 19:22
Magno15/05/2011 19:22
Não há dúvidas do despreparo da ex vice-diretora, ela deve ser orientada para quando retornar as salas de aula. E foi burra por escrever um bilhete para a mãe eu diria que não foi sequer imatura foi mesmo burra se não fosse o tal bilhete ele não estaria exposta ao ridículo.
Revoltado15/05/2011 18:41
Revoltado15/05/2011 18:41
Sim, caça as bruxas. Agora tudo que acontece que tem gay no meio é motivo de drama. Faltou tato. Experiencia talvez, mas se o menino realmente fez algum ato indecente ela estava errado. Na escola nao eh lugar pra tirar o pipi pra fora, pegar em pipi, colocar o pipi em lugares que nao deveria estar. Afinal é uma escola e o garoto tem 11 anos. Repito: não pode ser admitido se fosse menino x menina, menino x menino ou menina x menina. A coitada soh nao soube resolver a situacao. Uma pena.
De Edu para Revoltado15/05/2011 16:15
De Edu para Revoltado15/05/2011 16:15
Errata: onde lê (iguinorância) lê-se (ignorância) ou lê-la com aspas imaginárias como forma de ironia!
De Edu para Revoltado15/05/2011 16:04
De Edu para Revoltado15/05/2011 16:04
De cordo com suas palavras: "Esse negócio tá virando caça as bruxas e não é legal" Na Idade Média a Santa Inquisição para saber se uma determinada senhora era bruxa jogavam-na num poço com água, se ela viesse para superfície era considerada bruxa e era queimada na fogueira, se afundasse era considerada "inocente" e sua alma era incomendada ao "céu". Esse era o raciocínio usado por religiosos que pouco se preocupavam com os direitos e a vida humana. Vc acha que estamos na caça as bruxas? Se for no sentido de que as pessoas devem ser responsabilizadas pelos seus atos, acho válido quando a mesma tem direito a ampla defesa e o racicínio lógico seja usado para apurar os fatos. Agora essa ex vice diretora estava toda errada, além de ter suspenso o aluno mandou uma carta para mãe do mesmo (que contitui prova do ato) de forma intimidatória, causando desconforto e contrangimento, abalando não só a estrutura emocional do garoto como a familiar! É uma irresponsabilidade que justifica o porque da educação em âmbito geral estar enfrentando essa crise sem precedentes, quando supostos profissionais educadores deveriam estar zelando por princípios igualitários, estarem discriminando pessoas! Quem foi suspenso e sofreu assédio psicológico foi o garoto, essa senhora respondeu pelos atos que cometeu, da próxima vez repense antes de agir e reveja seus próprios valores. A pior iguinorância é cometida por pessoas que acham que já sabem tudo e param de evoluir, não enchergando novos pontos de vista!
Mel15/05/2011 15:53
Mel15/05/2011 15:53
É claro que o menino é gay!!! Nessa idade eu já dava pinta horrores no colégio. Mas a época era outra, era uma época de repressão e eu fui parar várias vezes na sala da diretora. Essa por sua vez, não tinha menor tato prá lidar com a situação. Mas por se tratar de uma boa pessoa e dotada de uma humildade incrível, ela me ajudou muito. A mãe desse menino já percebeu que ele é gay e a escola também e ambos não tem manejo prá lidar com a situação. Eles ainda acham que reprimindo o garoto a situação vai reverter. Esse pobre garoto deve morar no interior da Bahia, onde ainda o preconceito é muito grande. Se faz necessário e urgente, medidas educativas nas escolas e em todos os níveis educacionais, para tratar a orientação sexual com mais clareza e liberdade de opinião e expressão. Caso contrário, vai sempre continuar essa piada e esse desrespeito com nossos cidadãos gays ainda em fase de descoberta. Abraços a todos.
Revoltado15/05/2011 9:56
Revoltado15/05/2011 9:56
A senhora não fez nada de muito errado. Faltou só um pouco de tato, apenas isso. Se fosse um menino com uma menina eu acho que ela faria o mesmo. E o garoto, de 11 anos que na minha epoca nao era tao inocente assim (imagina agora) devia estar fazendo algo realmente indecente e obvio vai negar de pé junto que fez. Eu negaria. Esse negócio tá virando caça as bruxas e não é legal.
Max RJ15/05/2011 0:02
Max RJ15/05/2011 0:02
Chegou tarde o Kit pra essa escola hein??! Ou ainda nao chegou??? Kd a o kit genteeeee!!!! Dá-lhe o kit pra ela...tadinha!!! kkkkkkkkkk Ta precisando se atualizar mais fessora...
Basta!14/05/2011 22:28
Basta!14/05/2011 22:28
Não li todos os comentários mas pelos poucos que vi... e vejo. Tem uma parcela dos leitores, e na vida real também que devem ter sido criado como placenta. Simplesmente não sentem... perguntar não ofende! Como entornar em voz rispida também não, apontar... ah! menos ainda. Fazer chacotas só é humar, humilhações, preconceito inexistem já que no mundo deles tudo "faz parte". Pressionar um ser um humano, principalmente criança, em tom de desaprovação de um comportamente, principalmente quando é pública a entonação da voz e, com certeza, o tom de reprovação a um pré-julgamente e mesmo que fosse a situação real, é errado sim. Há quinze anos atrás se matava ou provacam suícidios mas vocês aí no berço explendido aprenderam que sensibilidade é colcar hobby, perfume de quinta e ouvir música brega tida como cult. Acompanhados com um garotinho que esta ansioso para receber os R$ 50,00 reais/real prometido, para ele poder ir ao shopping com a nomorada. Ainda bem que as coisas mudaram nesses 15 anos ou mais e ser bicha não é mais sinônimo de doênça mental ou aberrações insanas. Pois até mesmo o termo nunca foi adequado a nenhum ser humano e pena que só alguns, pouquíssimos, entendem assim. E como diria Lú Marilac: "Pohamm! Prefiram seus drink."
De Edu para JUNIOR TODDY14/05/2011 21:31
De Edu para JUNIOR TODDY14/05/2011 21:31
Segundo vc: "Não vi ofensa nenhuma da parte da diretora ao perguntar ao aluno qual era sua preferência sexual,também não vejo isso como despreparo profissional,todos nós erramos e temos o direito de defesa e tambem de perdão.eu vejo um monte de veados,veadões e veadinhos,a maioria se doendo por pouca coisa" Tem um contraditório na sua frase, porque se vc não viu ofensa por parte da diretora, porque ela iria suspender o garoto? Uma suspensão não é pouca coisa! Foi um ato de assédio moral ao garoto! Imagina o psicológico dessa criança? Por suas palavras pejorativas em relação aos homossexuais dá para perceber claramente que você é uma pessoa despreparada filosoficamente para falar de uma questão tão complexa como a educação, sexualidade e ética! Seu discurso não contém nenhum raciocínio lógico!
Parei, li e refleti! Antes de tudo escrever em caixa alta é falta de educação, na linguagem textual da Internet significa que você está gritando! Com relação a ética e a moral, o que seria ético para você? Suspender um aluno de 11 anos de idade causando trauma psicológico pelo que, isso é ético? Uma profissional que era vice diretora de uma escola, que está ali para educar que nem ortografia sabe está qualificada para ser juiza de morais e bons costumes?! Sem comentários! Libertinagem é o cacete (O que ela viu? Ela prova o que disse?), se fosse meu filho com a carta ainda registrava uma BO por difamação! É preconceito mesmo! Tá vendo porque é necessário que os programas do MEC cheguem o mais rápido nas escolas!? E essa mulher ainda vai continuar "incinandu" os alunos é concursada, imagino eu que passou nas provas por excesso de vagas ou por menos erros de Português! Isso sim é vergonhoso!
PARE,LE E REFLITA.14/05/2011 19:01
PARE,LE E REFLITA.14/05/2011 19:01
NAO SEI O QUE DIZER SOBRE MATERIAS QUE HOJE SAO VEICULADAS COM MAIS FREQUENCIA ENTRE OS MEIOS DE COMUNICAÇAO REFERENTE A GAYS. CONCORDO QUE HOJE ESTA TUDO,EXATAMENTE TUDO EM TODOS O SENTIDOS LIBERAL DEMAIS,TUDO EXPLICITO. HA QUINZE ANOS ATRAS ERA TUDO TAO DIFERENTE PRA MELHOR. HOJE ESTA TUDO SEM DIREÇAO,ESTAO INSISTINDO EM NAO DIFERENCIAR LIBERDADE COM LIBERTINAGEM. INSISTO QUE CADA PESSOA PODE SER O QUE QUER SER,POREM TEM QUE SER E DAR ETICA MORAL E PESSOAL PARA SE TER E EXIGIR RESPEITO. REFLITAM HUMANIDADE.
Vini14/05/2011 18:34
Vini14/05/2011 18:34
Façam como Madre Tereza, combatam a guerra com a paz. Ridiculo essa reportagem. Como diz alguns ai embaixo, todos nós erramos. E pelo parecer ela não agil de má fé. Não podemos julgar ninguém, a não ser que queramos ser julgados.
edu-sp14/05/2011 18:25
edu-sp14/05/2011 18:25
ESSE JUNIOR TODDY DEVE SER UM IGNORANTE IGUAL ESSA PROFESSORA VAGABUNDA E MAL AMADA E RECALCADA ELA MERECE SER APEDREJADA EM PRAÇA PÚBLICA.
lukas14/05/2011 16:22
lukas14/05/2011 16:22
Taí a polemica sobre o programa de combate a homofobia que o MEC vai distribuir nas escolas, não sei se vai funcionar mas chegou tarde para essa professora.
Tiego Poros14/05/2011 16:16
Tiego Poros14/05/2011 16:16
Tudo o que envolve crianças e adolescentes deve ser encarado com muita cautela, responsabilidade, ética e afeto. Não devemos nos precipitar ao julgar a vice-diretora. A sexualidade de uma criança ou de um adolescente é assunto que deve ser tratado com muita sensatez e tato. Nem tenho opinião formada se ela errou, ou não. O fato é de que as escolas deveriam estar muito mais bem preparadas para lidar com esses fatos. A emersão da sexualidade infantojuvenil é um fato concreto, e precoce. Por isso, administrar essas questões deve exigir treinamento, preparo, lucidez, tanto das escolas como dos professores, e dos que traçam políticas de educação, livres de preconceitos e conceitos retrógrados. Se as identidades sexuais dos jovens aparecem cada vez mais cedo, é hora de a sociedade se organizar para encarar essa realidade com o bom senso devido. Se um menino revela muito cedo sua homossexualidade, quem está preparado para ajudá-lo a não cultivar traumas, pesados, pela distorção que pode ser imposta à sua formação por pessoas de má fé ou, no mínimo, despreparadas ? Vamos pensar com carinho nesse tema. E vamos investir em educação para que tenhamos as novas gerações livres desse sufoco do sexo associado a culpa, pecado, sujeira e agressão a Deus, como aconteceu conosco, gente que hoje soma 50 ou 60 anos.
JUNIOR TODDY14/05/2011 15:52
JUNIOR TODDY14/05/2011 15:52
"Não vi ofensa nenhuma da parte da diretora ao perguntar ao aluno qual era sua preferência sexual,também não vejo isso como despreparo profissional,todos nós erramos e temos o direito de defesa e tambem de perdão.eu vejo um monte de veados,veadões e veadinhos,a maioria se doendo por pouca coisa,mas quando entra algo que faz doer ,ai ninguem reclama nem para a familia e nem mesmo na televisão,vejo nisso tudo uma minoria tentando fazer 15 minutos de fama,é bem feito para esse muleke ,fica com frescuras com outros meninos e depois não querem ser questionados,tenho certesa que a mãe desse menino está necessitando de uma sexta basica ,ou deve estar sem emprego,então com raiva foi denunciar a profissional da educação,é uma pena ,os pais nem ensinam em casa os filhos a se comportarem e nem mesmo permitem os professores faze-lo,mais tarde vão chorar arrependidos quando esses mulekes estiverem logo ali na esquina fazend um programa ou mesmo aparecerem nos videos pornôs do mundo mais.a hora dessa mãe vai chegar,nessa hora será que os que esoneraram a diretora darão apoio a ela,ou mesmo os gays da bahia? amigobuto@hotmail.com
Lucas14/05/2011 14:36
Lucas14/05/2011 14:36
Tinha que ser exonerada mesmo. Sexualidade nao tem q ser discutida com criança. ainda mais falando-se de intimidade ou opiniao propria. agora citar coisas a respeito p gerar respeito é diferente.
Baiano14/05/2011 13:33
Baiano14/05/2011 13:33
SÓ NA BAHIA O Q SEU FERNANDO...POR ACASO ONDE VC MORA NÃO EXISTE DISCRIMINAÇÃO????ELA ERROU SIM...POIS NÃO SOMOS ORIENTADOS COMO MUITOS PENSAM E SIM, POSSUIMOS A NATUREZA DA FORMA QUE NOS FOI CONCEBIDA....SE ISSO DIVERGE AS OPINIOES, PROBLEMA...SOMO FELIZES E É O Q IMPORTA.
edu-sp14/05/2011 0:31
edu-sp14/05/2011 0:31
PRA QUEM NÃO SABE, NÃO É OPÇÃO MUITO MENOS ORIENTAÇÃO SEXUAL, PORQUE NINGUÉM OPTA POR SER HOMOSSEXUAL E NEM É ORIENTADO POR PAIS E NEM POR NINGUÉM A SER HOMOSSEXUAL, A PESSOA NASCE HOMOSSEXUAL, SERIA MUITO BOM SE FOSSE OPÇÃO OU ORIENTAÇÃO, POIS NINGUÉM GOSTA DE SER DISCRIMINADO.
marcos marti13/05/2011 23:23
marcos marti13/05/2011 23:23
mundo mais!, se liga: um "site" antenado como este não pode incorrer no erro de usar a expressão "opção sexual", já que a politica e "cientificamente" correta é ORIENTAÇÃO sexual. Corrijam aí. Abraços.
Caique13/05/2011 23:17
Caique13/05/2011 23:17
Misericórdia, isso eh Brinks neah? Bom, se o futuro depende da educação de nossas crianças, que a 3°Guerra Mundial começe e mate a metade do mundo logo, pq vai dar merda ... pq olha a bosta que eh essa professora
Magno13/05/2011 22:44
Magno13/05/2011 22:44
Sou educador e vejo com tristeza o despreparo de muitos colegas para lidarem com situações parecidas. Se tratassem a orientação sexual com naturalidades e sem preconceito certamente não se envolveriam em situações embaraçosas como a desta mulher, afasta-la do cargo não é o suficiente ele precisa de um curso de capacitação para trabalhar o tema transversal orientação sexual já que por ser concursada não pode ser exonerada.
magonlia sua monstraaaaaaaaaaa!!!!! DEICHA LA OS ERES O CACULA DOS INFERNOS KKKKKKKKK
Salvador1913/05/2011 22:34
Salvador1913/05/2011 22:34
Já já Magnolia vai pousar na revista globo rural.Só pq passou a mão na cabeça, imagina se tivesse pegado no pinto?O preconceito vem das mulheres , somos criados por elas.
Billy.Floripa13/05/2011 22:29
Billy.Floripa13/05/2011 22:29
Ela nao tem que questionar opçao sexual de ninguem. ela é paga pra educar. ela poderia muito bem ter chamado o garoto num canto e orientado para nao fazer mais aquele tipo de brincadeira. isso que ela fez foi exposicao do menor ao ridiculo. pena que ela é concursada. tinha que por ela cuidar de vacas e bois que combina mais
Jacko13/05/2011 21:27
Jacko13/05/2011 21:27
Gente, é essa a educação dos educadores do Brasil... Não se espantem!!!
Vini13/05/2011 20:20
Vini13/05/2011 20:20
Galera ela só perguntou se ele gostava de x ou de y.
bruno, camaçari ,bahia13/05/2011 20:14
bruno, camaçari ,bahia13/05/2011 20:14
QUE TIPO DE DIRETORA É ESSA MULHER? SE ELA DEVE SER EXEMPLO DE EDUCAÇÃO E RESPEITO, FEZ O CONTRARIO...FORA INESCRUPULOSA...
marcos13/05/2011 19:45
marcos13/05/2011 19:45
Ela que va aprender a escrever direito , essa analfabeta , burra !!!!
lucas 13/05/2011 19:43
lucas 13/05/2011 19:43
Essa mulher deve ser uma lésbica enrustida , ou alguma piranha recalcada , também , com essa cara dela , feia que dói, ela que cuide da vida dela , isso é falta de homem !!!
Fernando13/05/2011 18:27
Fernando13/05/2011 18:27
E essa BURRA é Vice-diretora de uma escola estadual ??? Rua o melhor CADEIA é o que merece por ser tão animal !!! Ela foi exonerada do cargo mas continua na Secretaria de Educação como professora porque é concursada?? GENTE, ISSO SO NA BAHIA !!!
FARLEY RODRIGUES- MG13/05/2011 16:20
FARLEY RODRIGUES- MG13/05/2011 16:20
É duro ouvir e ver isso, ainda mais vindo de uma pessoa que se diz qualificada para ser educadora. Tenho dos educandos os quais já se passaram por estas mãos, onde deve ter tomado aquele tempinho para ensiná-los a apontar o colega do lado por ter um comportamento, o que muitos chamam de anormal. Detalhe, há uma grande falta de informação mesmo que se tratasse de a criança ser ou nao homossexual, utilizar o termo opção, o correto é condição sexual. Mais curioso ainda, é uma professora, graduada, assim suponho, escrever bruscamente uma palavra de uso comum e tão simples com um erro gritante de português, ouzadia e não OUSADIA. É o fim da picada mesmo. Erros todos comentem, esse por exemplo ficará marcada na mente desta criança por toda sua adolescência até a fase adulta, se é que um dia vai esquecer desse fato. Quanto a penalidade aplicada à servidora, não acredito que tenha sido o bastante, e sim fazer com que ela fizesse uma reciclagem, de preferência em órgão ligado a causa GLS. Aprender a como tratar o ser humano, respeitando suas diferenças onde quer que ele esteja e a todo momento. Lembrando que o Brasil vem evoluindo nessa questão. Se faz necessário divulgar casos assim, pois com certeza há outros que não são divulgados na mídia a nível nacional. E ainda confessa, é uma burra mesmo heim. Desculpem, mas não há outro adjetivo para se referir a essa criatura.
Bruno13/05/2011 15:40
Bruno13/05/2011 15:40
Será que tem professores, diretores vendo isso? Cuidado, pois cada vez mais os homofóbicos são punidos. Fora, diretora!
Justinforyou13/05/2011 15:36
Justinforyou13/05/2011 15:36
Que mulherzinha sem noção! Isso é maneira de se tratar uma criança? Fato: ela não está capacitada a gerir uma escola. Solução: Ajoelhe no milho, de rosto para a parede por duas semanas (pra não ficar muito pesado pra ela, coitadinha...) rsrsrsrs
Gustavo13/05/2011 15:35
Gustavo13/05/2011 15:35
que absurdo isso gente ... essa mulher enloqueceu ... tem gente que vê maldade em tudo
Tiago13/05/2011 15:28
Tiago13/05/2011 15:28
Sou professor e percebo os profissionais da Educação muito despreparados para lidar com a diversidade sexual. Se a lei contra homofobia estivesse aí, a diretora pensaria duas vezes antes de ter falado o que falou, pois ainda teria sido crime.
Faça seu comentário!
Nome

Faça seu comentário:

LEIA TAMBÉM
LEIA MAIS
01/09/2014 NOTíCIAS » Homem nega ser atendido por funcionária trans e se depara com gerente e policial gays.
01/09/2014 NOTíCIAS » Colômbia aprova adoção de crianças por casais gays desde que um seja o pai biológico.
29/08/2014 NOTíCIAS » Novo App brasileiro de namoro apresenta só amigos de amigos.
29/08/2014 NOTíCIAS » Saiba o que os candidatos à presidência se propõem a fazer (de fato) para os LGBT.
28/08/2014 NOTíCIAS » Pela primeira vez, Justiça condena procurador que se dizia skinhead na internet.
28/08/2014 NOTíCIAS » Após postar foto dançando balé, Ghilherme Lobo é questionado se é gay e surpreende na resposta.
27/08/2014 NOTíCIAS » Emerson Marcellino, candidato a deputado estadual, fala sobre suas propostas para o grupo LGBT.
27/08/2014 NOTíCIAS » Luciana Genro afirma que homofobia e transfobia matam, em debate com presidenciáveis.
Pedro
Twitter
Facebook
© Copyright 2013 MundoMais. Todos os direitos reservados.