Sexta-feira, 10 de Junho de 2011
França
Rejeição à união gay
O governo francês voltou a rejeitar o casamento gay, durante o primeiro debate realizado sobre o assunto no parlamento.
por Redação MundoMais

FRANÇA - O governo francês voltou a rejeitar o casamento gay, durante o primeiro debate realizado sobre o assunto no parlamento, que aconteceu nesta quinta-feira, após a apresentação de um projeto de lei pelo partido socialista, de oposição.

Este debate é uma oportunidade de mostrar o quanto a nossa sociedade preza o casamento, a segurança que ele traz em relação a outra uniões e o símbolo social que representa, declarou o Ministro da Justiça Michel Mercier na Câmara dos Deputados.

O casamento ainda representa a base da família, apesar de não ser o modelo único de união e de parentesco, afirmou. É justamente em razão da pluralidade de uniões possíveis que devemos respeitar as especificidades de cada um.

Em 1999, o governo do primeiro ministro socialista Lionel Jospin criou o Pacs (Pacto Civil de Solidariedade), um contrato de união estável que pode ser firmado por casais tanto homossexuais quanto heterossexuais.

O nosso governo iniciou um forte movimento rumo a uma igualdade de direitos entre parceiros de um Pacs e esposos, afirmou o ministro Mercier, do partido conservador UMP. Porém, "o casamento e o Pacs não tem vocação para tornarem-se similares de um ponto de vista familiar".

O deputado socialista Michel Bloche, relator do projeto de lei, lembrou que sete países europeus já reconheceram o casamento entre pessoas do mesmo sexo (Holanda, Bélgica, Espanha, Noruega, Suécia, Portugal e Islândia). Segundo Bloche, esses países, mesmo aqueles que como a França tem "cultura católica muito marcada", não foram "abalados nos seus fundamentos" por esse reconhecimento.

Ele também afirmou que apesar da França ter sido "pioneira" com a criação do Pacs, está hoje "atrasada". Precisamos alcançar um novo patamar no caminho da igualdade de direitos, completou.

Norma para comentários:
Acusações insultuosas e comentários em desacordo com o tema da matéria serão despublicados.
Comentários dos leitores (10)
nando bh12/06/2011 23:51
nando bh12/06/2011 23:51
sera que a frança preoculpa com outros assuntos de interesse do povo que mora lá? pois casar, ter opnião sexual eu acho que é coisa pessoal. desde de que eu não esteva roubando e nem traficando tenho direito a total liberdade de escolha. ate quando meu deus esse preconceito. vamos proculpar com coisas mais importante, e deixar o ser humano ser feliz do geito que ele acha melhor!!
Gustavo - RJ11/06/2011 2:40
Gustavo - RJ11/06/2011 2:40
EU COMENTEI BRANDEIRA, PORQUE ERREI NA DIGITAÇÃO RÁPIDA, MAS É BANDEIRA.
Gustavo - RJ11/06/2011 2:38
Gustavo - RJ11/06/2011 2:38
EU ADMIRO MUITO A FRANÇA TER ESSE TIPO DE ATITUDE, SE DIZER UM PAÍS SUPERIOR QUE OS OUTROS E AVANÇADO, PRA MIM! DEPOIS DISSO, EU VEJO A FRANÇA COM OUTRO TIPO DE OLHAR, UM PAÍS BAIXO, IGNORANTE E DE VÁRIOS BOSSALISTAS DE MERDA. QUEIMEM A BRANDEIRA DA FRANÇAAAAAAA!!!
Fabrício SP10/06/2011 18:39
Fabrício SP10/06/2011 18:39
Seria muito bom que um país com a França estabelecesse logo o casamento civil... é um país referência!
Bruno MG10/06/2011 17:12
Bruno MG10/06/2011 17:12
@Elder Está enganado Elder. A França não é um país preconceituoso. Estudei la todo o ano de 2009 e cenas de homoafetividade é muito comum nas cidades e o melhor é que é vista com total normalidade pela população. A França foi pioneira no reconhecimento da união estável, não tenho dúvidas que em breve decretarão novas conquistas para os homossexuais naquele país. @luKAS Lucas, eu tenho tanta preguiça deste Plinio. Nossa. Como pode uma pessoa tão ignorante permanecer nas diretrizes do nosso país. Não é querer julgar, rs mas eu não sei não hein. rs Já vimos diversos casos de super homofóbicos que anos depois são descobertos... rs Será este mais um caso?
Bruno MG10/06/2011 17:11
Bruno MG10/06/2011 17:11
@Elder Está enganado Elder. A França não é um país preconceituoso. Estudei la todo o ano de 2009 e cenas de homoafetividade é muito comum nas cidades e o melhor é que é vista com total normalidade pela população. A França foi pioneira no reconhecimento da união estável, não tenho dúvidas que me breve decretaram novas conquistas para os homossexuais naquele país. @luKAS Lucas, eu tenho tanta preguiça deste Plinio. Nossa. Como pode uma pessoa tão ignorante permanecer nas diretrizes do nosso país. Não é querer julgar, rs mas eu não sei não hein. rs Já vimos diversos casos de super homofóbicos que anos depois são descobertos... rs Será este mais um caso?
Elder Henrique 10/06/2011 13:55
Elder Henrique 10/06/2011 13:55
que pena um país tão apaixonante, tão desenvolvido ser tão preconceituoso. Ainda há de se aprender muito franceses.
Ulisses10/06/2011 11:59
Ulisses10/06/2011 11:59
é um medo .......... que não entendo.........como se nós fôssemos acabar com o mundo hetero.........so queremos viver sem medo, sem preconceito, livres..........
lUKAS10/06/2011 11:14
lUKAS10/06/2011 11:14
aQUI EM bRASILIA, O INSTITUDO plinio correia de oliveira( POLITICO), ESTA DISTRIBUINDO PANFLETO PELA CIDADE PEDINDO O POVO QUE ENVIE MENSAGEM PARA O sENADO PEDINDO A REJEIÇÃO DF DO PL 122,
lUKAS10/06/2011 11:12
lUKAS10/06/2011 11:12
iSSO É QUESTÃO DE TEMPO
Faça seu comentário!
Nome

Faça seu comentário:

LEIA TAMBÉM
LEIA MAIS
22/10/2014 NOTíCIAS » Ator diz que está assustado, após ser abordado por homofóbico e levar soco no olho.
22/10/2014 NOTíCIAS » Leonardo e Xana viram héteros, e autor é criticado por cura gay.
21/10/2014 NOTíCIAS » Argentina concede refúgio a gay russo e pode virar destino para vítimas.
21/10/2014 NOTíCIAS » Confira quais são os avanços dos direitos gays no mundo.
20/10/2014 NOTíCIAS » Eles ficam com homens e negam ser gays. Conheça os g0ys de Brasília!
20/10/2014 NOTíCIAS » Vaticano divulga mensagens e pede respeito aos homossexuais.
17/10/2014 NOTíCIAS » Delicie-se com os strippers virtuais do Câmera Privê: prazer sem limites pra você!
17/10/2014 NOTíCIAS » Otaviano Costa ganha selinho de Rodrigo Hilbert em Amor & Sexo.
Pedro
Twitter
Facebook
© Copyright 2013 MundoMais. Todos os direitos reservados.