Segunda-feira, 16 de Janeiro de 2012
Lar, amargo lar
Levantamento LGBT conclui que 22% dos casos de homofobia ocorrem em ambiente familiar.
por Redação MundoMais

Na noite do primeiro dia do ano, um estudante universitário de 20 anos, da região do Vale do Aço, foi atacado com socos e golpes de cinto em seu rosto. O agressor foi sua própria mãe, ao descobrir que o rapaz era homossexual. Ela chorou e disse que eu tinha destruído a vida dela. Ficou com uma ira que eu nunca vi e disse que eu ia morrer, contou o aluno de administração, que acaba de entrar para uma estatística de preconceito e intolerância.

Os casos de violência motivados pela orientação sexual de um membro da família não são raros. Um levantamento feito pelo Centro de Referência da Cidadania LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais Travestis e Transexuais) do Rio de Janeiro mostra que grande parte de LGBTs que sofrem agressão é vitimada no ambiente familiar. Dos 5.070 atendimentos realizados pela entidade, entre julho de 2010 e julho de 2011, 22,4% se tratavam de agressões sofridas em casa, sendo pais, mães e outros parentes os principais autores dos ataques.

Em Minas Gerais, não há estatísticas sobre o assunto, mas o coordenador do Centro de Referência pelos Direitos Humanos e Cidadania LGBT da capital, Carlos Magno, avalia que o dado é preocupante. É preciso ter uma ação urgente para mudar isso, afirmou.

Acostumada a atender LGBTs em situação de vulnerabilidade, a psicóloga Dalcira Ferrão explica que uma agressão homofóbica sofrida dentro de casa pode ter consequências ainda mais graves para a vítima. A pessoa fica sujeita a depressão, isolamento social e até suicídio, explicou.

A primeira atitude tomada pelo jovem universitário depois de apanhar da mãe foi sair de casa. Peguei R$ 100 emprestados com minha irmã e voltei para Belo Horizonte, contou. Ele disse que não quis acionar a polícia e nem foi ao médico, apesar dos hematomas que teriam ficado no peito e no rosto. A mãe, segundo ele, tomou as chaves do apartamento onde ele morava na capital e os cartões de crédito. Foi uma humilhação emocional grande, disse o estudante.

Procurada pela reportagem, a mãe não quis comentar a versão do filho. Não tenho nada contra a escolha. Mas aceitar (a orientação do filho) depende da minha religião, disse ela.

O episódio familiar é um dos lados de uma realidade de intolerância presente em Minas Gerais. Balanço do Grupo Gay da Bahia (GGB) revela aumento no número de assassinatos de LGBTs no Estado: 18 LGBTs foram mortos em 2010, enquanto 21 foram assassinados no ano passado. O aumento foi de 16%. A homofobia é tão impregnada que há mães que preferem que o filho seja bandido ou morra a ser gay, avalia o antropólogo Luiz Mott, fundador do GGB. O levantamento refere-se apenas a assassinatos.

Amigos organizam festa em apoio a jovem

Foi no boca a boca que a agressão homofóbica sofrida pelo estudante virou assunto na capital. O fato chegou ao conhecimento de amigos de amigos e rapidamente uma rede de ajuda foi formada em Belo Horizonte. Através das redes sociais, uma festa foi organizada para arrecadar fundos em apoio ao universitário, que começou ontem em um novo emprego.

Fiquei chocado quando soube e pensei em uma forma de conseguir dinheiro para ajudar. Disseram que ele não tinha nem lugar para morar, disse o jornalista Rafael Sandim, 21, organizador da festa.

Minas é o quarto Estado em número de homicídios

21 LGBTs assassinados em 2011 em Minas deixam o Estado no quarto lugar entre os que mais registram mortes por atos homofóbicos. Os homicídios por intolerância ainda são em maior número na Bahia, São Paulo e Rio de Janeiro. As estatísticas podem ser ainda maiores, já que o Grupo Gay da Bahia (GGB), entidade que realiza o levantamento anual, registra apenas casos que foram divulgados pela imprensa.

O bom relacionamento entre pais e filhos LGBTs é tido como fundamental para evitar atos de violência dentro da família, segundo Jiçara Martins, 61, integrante do grupo "Mães pela Igualdade". O grupo é composto por mães de LGBTs que oferecem apoio aos pais que descobrem a orientação das/dos filhas/os. Acho que deixar a verdade prevalecer é sempre a melhor opção. Tem casos de pais que, ao saber que o filho é gay, têm reação momentânea e explodem, mas a gente tenta ajudar, disse. Além da violência física, ela relata casos comuns de agressões verbais. Tem a violência velada, comentários, olhares. Isso pode levar uma pessoa ao suicídio, afirmou.

O maior entrave na aceitação familiar, segundo Jiçara, é o medo que os pais têm de assumir que o filho é homossexual. Tirar os pais do armário é o mais complicado.

Norma para comentários:
Acusações insultuosas e comentários em desacordo com o tema da matéria serão despublicados.
Comentários dos leitores (32)
Fernando23/01/2012 23:11
Fernando23/01/2012 23:11
Posso não concordar com o homossexualismo, mas não posso e nem tenho o direito em nome dos meus princípios ou da minha religião agredir, excluir, deixar de amar meu filho. Sou católico tenho dois filhos pequenos orientarei para serem homens machos, porém se escolherem ser homossexuais aceitarei tranquilamente
Ao Pedro22/01/2012 18:21
Ao Pedro22/01/2012 18:21
Quando sua mãe falar com vc que prefere vc morto do que ter vc como um filho gay.Fale com ela.Mãe!Idem mãe!!!Com certeza ela vai ficar chocada.
Rosa22/01/2012 2:12
Rosa22/01/2012 2:12
Putz galera, estou abismado com os comentários de vcs. E a TOLERÂNCIA, RESPEITO, DIGNIDADE ao próximo onde fica. Aqui não vou defender nenhuma parte, mas creio q temos q estar sempre revendo nossos conceitos para não sermos tão retrogrados e assinar embaixo das atrocidades q a sociedade faz com nós gays assumidos ou não. E sobre se assumir cada um sabe a realidade onde esta inserida não vamos midificar nossas vidas, galera.
Psicanalista21/01/2012 6:55
Psicanalista21/01/2012 6:55
NAO SE ASSUMAM!!!!!! Isto é particularidade de vcs, nao é preciso sair dizendo que é gay nem para familia nem para pseudo amigas. se resguardem. Uma suposta sensacao de alivio ao contar é PURA UTOPIA, atendo pessoas que se assumiram e 80% se arrependeram depois. Vcs já sofrem interiormente pra que sofrer com o preconceito do mundo externo, preconceituoso, cruel, perverso e perigoso. A homofobia baixou nos anos 00 mas de uns 4a para cá ela voltou a crescer rapidamente.
Luciano20/01/2012 1:46
Luciano20/01/2012 1:46
A religião dessa homofóbica vadia diz que ela tem que espancar o filho? Se for evangélica, não duvido nada que esses crentes do capeta fizeram ela fazer isso.
Luciano20/01/2012 1:43
Luciano20/01/2012 1:43
Isso é muito triste. É por isso que muitos caras sacrificam sua felicidade por causa da homofobia familiar. Namoram mulheres e se casam e vivem infelizes. Um conselho para todos os gays que têm família homofóbica: estudem bastante, trabalhem, sejam independentes e vão viver as suas vidas longe da homofobia da família.
Alex - BH18/01/2012 22:27
Alex - BH18/01/2012 22:27
Quem disse que está tudo perfeito? Só disse que não dependo financeiramente da minha família, ao contrário do que foi afirmado por você. Dinheiro não é tudo; queria - SIM - ser visto com outros olhos pela minha família. Acho que meus familiares têm mais motivos para se orgulhar do que para se envergonhar de mim. TCHAU!
ADOBHÃO/MA18/01/2012 19:57
ADOBHÃO/MA18/01/2012 19:57
MAS TEM MESMO QUE ASSUMIR QUE SE É GAY? SÓ PRA SER MASSACRADO? PREFIRO O MASSACRE INTERIOR PESSOAL QUE O AMARGO DO DEBOCHE E DA ZOMBETICE CRUEL DOS QUE NÃO SABEM O PESO DA CARGA QUE SE CARREGA. ADMIRO, MAS NÃO ASSUMO.
Ao Alex18/01/2012 15:26
Ao Alex18/01/2012 15:26
Entao pq está se fazendo de vítima se está tudo perfeito? eu hein que bessha loka bipolar, onde tudo estava desabando na vida dela, hj está tudo uma maravilha, um luxo só... ah me poupe viado, desaquenda!
Alex - BH 18/01/2012 12:16
Alex - BH 18/01/2012 12:16
A quem respondeu o meu post, digo o seguinte: Não comente o que você não sabe, querido(a). Sempre me dei muito ao respeito, se você quer saber. Ou simplesmente ser gay é não se dar ao respeito? Se pensa assim, é melhor que caia fora deste site. Nunca reivindiquei que meus familiares apoiassem minha homossexualidade, apenas que me respeitassem. E outra: só me assumi há um ano, após me estabilizar com uma ótima carreira no serviço público. Sou eu que pago as contas da família, inclusive, e nem dividimos o mesmo teto.
AO pedro18/01/2012 4:22
AO pedro18/01/2012 4:22
Procure ajuda imediata, nao sei em Salvador mas no RIO há uma espécie de albergue para estes jovens expulsos por serem gays de casa, até eles se formarem e arrumarem um emprego. Além de ajudas com donativos e cesta básica enquanto vc estuda. vc já tem 18a, já pode trabalhar, mesmo que consiga ganhar um salario minimo, desapareça de sua casa, vc pode vir a cometer suícidio, e esta nao é a melhor saída. Nao tem uma tia, tio, avós que possam te ajudar? saia desta casa
PEDRO18/01/2012 3:19
PEDRO18/01/2012 3:19
Fico triste em ver esse casos sou filho único homossexual e com 18anos , mas sou na minha plantado e sempre com uma única visão meus objtivos e minha dependência financeira . Hoje em dia os pais não aceitar de forma alguma um filho gay ... quantas vezes minha mãe olhou para me e falow prefiro que vc morra , quer ter um filho gay e meu pai vira e fala , prefiro ter um filho nas drogas presos que ter um filho gay , oq seria isso ? Homofobia , ela fala ódeio gay , lésbicas entre outros isso corta meu coração , fico triste com depressão e não vejo uma saída mas sempre fui uma pessoa que gostei de estudar estou com uns planos para 2012 e espero que tudo venha da certo ou seja mas um homossexual ocupando seu lugar . Quantas e quantas vezes peguei remédio para me suicidar e ela ver o movimento e não fazer nda , oq eu mas quero é o amor deles dois , graças a Deus sou uma pessoa bem tranquila , filho único plantado , não sou mole , nda contra os , mas é isso a tdos vcs que sofre de preconceito ao ser gay , lute , estude , busque vamos ultrapassar a classe homossexual nos estudos nas altas escolas , vamos se valorizar mais , vamos procurar adquirir o meu eu , e com o tempo tudo vai ao seeu lugar ;* abrçs a tdos .... sou de ssa bahia msn : leobroder01@hotmail.com
Ao ALEX abaixo18/01/2012 1:36
Ao ALEX abaixo18/01/2012 1:36
Se vc nao se deu respeito, quem é que vai te respeitar? negue a té vc conseguir um emprego e se auto sustentar, enquanto tiver embaixo do teto do papi vc qué o que bunita? que eles te apóiem e deixem vc leva os bofe pra tua cama? querem que vc se tranforme num crô? teus pais sabem o que fazem, pai e mae é sagrado, respeitem-os em primeiro lugar
Alex - BH18/01/2012 1:26
Alex - BH18/01/2012 1:26
Muito boa a abordagem... Me identifiquei com todo este drama... Minha mãe disse não aceitar minha homossexualidade, entre outros motivos, porque se preocupa com o preconceito que posso sofrer na sociedade. Eu disse: "Mãe, o pior preconceito eu sofro é em casa!" De fato, historicamente, as piores ofensas e calúnias vieram de meus familiares - pessoas que mais deveriam me apoiar, me entender, me amar.
Demien p/ anonimo17/01/2012 18:25
Demien p/ anonimo17/01/2012 18:25
Novamente, NEW ENGLAND é bem distinto, em NY a segregação entre negros e brancos nao é como Chicago e lá pro meio-oeste com um bando de lokos religiosos fanáticos e preconceituosos com tudo. Nao vou ficar debatendo mais sobre isso.....irrelevante, onde vc estudou viveu e tuas experiencias foram as tuas experiencias, mas a bisexualidade em Universidades é muito comum, nao disse que fiz sexo e sim aquelas brincadeirinhas maliciosas deles de pegar no meu pau, me masturbar etc...
p/a o demian (de novo)17/01/2012 11:52
p/a o demian (de novo)17/01/2012 11:52
'é da cultura da América' KKKKKKKKKKKKKKKK Que cultura é essa amigo??Desde quanto putaria é uma cultura(só pq vc e seus coleguinhas gostam de uma rola não quer dizer que todo americano na faculdade faz o mesmo)?E acorda também né,porque os EUA são tão preconceituosos quanto o Brasil.A única diferença é que lá eles separam os gays dos héteros e também tentam separam os brancos dos negros.
p/a o demian (de novo)17/01/2012 11:47
p/a o demian (de novo)17/01/2012 11:47
Eu tb estudei lá!E não vi nada disso!Os roommates são um bando de drogadinhos e não vi nenhum se pegar.Agora essa sua universidade deve ser bem GLBT pra todos os caras se pegarem,ou então vc atrai viado pra perto.
Sergio17/01/2012 3:44
Sergio17/01/2012 3:44
Um castelo inglês com arquitetura anglo imerge das profundezas do loch ness, daí surgi ela dos cabelos esvoaçantes e avermelhados com a tintura do lodo do lago, a diva pop mega super pop, nao é a Luciana Gimenez, nao é o monstro do loch ness, nao é a marilia gabriela, nao é uma ruiva real e sim tingida, ela surge do nada, das trevas, da escuridão e de lá a ruiva nao se desprende, mesmo casada morre no altar sozinha e levada pela corrente do monstro do loch ness. Sergio
Resposta : p/a o demian17/01/2012 0:13
Resposta : p/a o demian17/01/2012 0:13
Vc viveu lá 7a, eu estudei numa universidade e a maioria é bissexual sim na época da universidade. Tdos meus colegas de quarto teve uma pegada, qualquer leigo sabe disso, é da cultura da América. Outra vc pode ter vivido em um cantão, rincão mórmons, ou aqueles batistas insanos de condados do meio-oeste, eu vivi em New England, povo mais culto, a parte como o nome já diz INGLESA DE FATO da América. O povo é segregado Ht e Gay, como se no Brasil fosse TUDO MIX e hetero andasse junto de gay, ah me poupe destes comentários de promédios do Merdil, Bostil, dessa merda q sempre será considerado terceiro mundo
Pedro16/01/2012 23:05
Pedro16/01/2012 23:05
Acho que o maior medo da familia é ter uma bicha louca em casa, qdo o gay passa sua sexualidade de forma equilibrada, elegante e discreta embora seja assumido parece que as pessoas assimilam na boa. Qdo falei pro meu pai que era gay ..ele pensou que eu fosse falar fino e arrastar chinelo e vira "mulherzinha" depois que viu que não era nada disso relaxou hj somos grande amigos ..nos amamos
P/Demian16/01/2012 22:48
P/Demian16/01/2012 22:48
Nossa cara,vc não sabe nada! Os EUA é um dos países mais preconceituosos do mundo tb.Os gays são 'separados' dos héteros lá e os únicos estados liberais são NY e LA. E a maioria das pessoas nos EUA não são bissexuais.Eu morei lá por 7 anos e não vi nada disso.
junior16/01/2012 18:44
junior16/01/2012 18:44
Nossa, como as religiões prejudicam tanta gente, fico estressado com isso. São hipócritas, tem um passado tenebroso e um presente de abusos e homossexualidade enrustida, e ficam pregando esse ódio, ensinando a não usar camisinha, a não aceitar os gays, nossa, QUE ATRAZO MEU DEUS!!!!!!!
Paulo Henrique16/01/2012 17:36
Paulo Henrique16/01/2012 17:36
Já tô cansado dessa onda de homofobia. Cada um faz o que quiser com o próprio corpo, é ridículo essa mania que os outros tem de perseguir o que o próximo faz com o órgão genital. E se é na família, o mínimo que se tem a fazer é respeitar mesmo não gostando, não vai deixar de ser parente por causa disso, continua tendo o mesmo sangue.
Demian16/01/2012 16:59
Demian16/01/2012 16:59
Ter um filho gay é o mesmo que ter um suicida na família , um cancerígeno na família, a família fica marcada por onde passa, no mercado, na vizinhança todos os apontam e dizem: olha lá aquela família que o filho é viado, olha lá aquela familia que o pai se suicidou, olha lá aquela familia que a mulher tem cancêr. fundamental a explicação no último paragrafo. Quando há um gay na familia, a familia tem que sair do armário. Se esta família apóia o filho, é unida ok, ao contrário isso na mente deles será motivo de chacota(90% dos casos). Nos EUA e Europa do norte e Argentina nao há essa preocupação pq eles possuem a cultura de mandar o filho estudar longe e aprender a se virar na vida e viver com seus próprios pés e suas escolhas e condições, sejam elas ruins ou nao. A maioria nos states é bissexual na época de universidade e os pais nem sabem e nem devem saber, isso é particularidade de cada um. Tenho um amiga lésbica canadiana, ela foi estudar na Austrália e é casada com mulher, a família nem sabe e nao a questiona sobre isso. evitem sair do armario muito cedo, quem fez se arrependeu amargamente
sejamos francos16/01/2012 16:47
sejamos francos16/01/2012 16:47
Quem é de fora tem como referência o que de homossexualismo? a Valeria do quadro valeria e janete, o crô da novela(pra mim esse é o que mais esculacha os gays), em seguida vem um reality show com uma maricona falando mole e dando pinta. SEJAMOS FRANCOS sou militar, eu recebo cantada de homens o tempo inteiro, basta por a farda, meus amigos tbem, eles dizem que a viadagem anda demais e que mereciam tudo morrer. QUEM QUER ISSO PRO PROPRIO FILHO? nem eu que sou gay queria ter filho gay(é sofrimento na escola, universidade, trabalho, nas ruas e até em ambientes gays que os organizadores tratam-nos sem respeito algum). Aos q sofrem na família saibam que nao foram só vcs, entao sejam fortes e continuem lutando pelos seus ideais e cuidado com amizades que fores fazer
MARTINS , SLZ - MA16/01/2012 14:49
MARTINS , SLZ - MA16/01/2012 14:49
Tento compreender o porque da perseguição gratuíta que mamãe comete contra mim pelo fato de ser gay, visto que ela vive do passado sombrio que passou, porem, meu pai mudou para melhor, ele batia em mãe e contra- partida ele não batia nos filhos, mas hoje minha mãe é radical demais, enquanto papai é calmo demais e mto legal, mas de vez enquanto, eu lembro ele do seu passado, para ele refletir sobre o atual comportamento de mamãe.
MARTINS , SLZ - MA16/01/2012 14:41
MARTINS , SLZ - MA16/01/2012 14:41
Meu pai cursou até 4ª serie do ensino fundamental, sempre tabalhou para manter eu e meus 4 irmãos, porem no passado ele bebia muito e batia muito na mamãe, um dia mamãe se converteu de verdade no catolicismo, e conseguiu converter papai, hoje papai é outra pessoa, porem, mamãe se tornou muito severa,
MARTINS , SLZ - MA16/01/2012 14:28
MARTINS , SLZ - MA16/01/2012 14:28
A mãe sempre foi o berço da doçura! mas no meu caso foi diferente, minha mãe é altamente HOMOFOBICA, já meu pai é a doçura familiar , meu pai é amigo de conversar numa boa sem nenhum preconceito, ele só pede para eu não depravar, na linguagem gay ser baqueosa. nossa! meu pai é tudo !!!! enquanto a velha é um Ó , mas todo caso é um caso, no meu caso evito discurções com a velha para justamente mantermos uma relação de respeito, mamãe fica na dela e fico na minha.PRONTO!
MARTINS , SLZ - MA16/01/2012 14:19
MARTINS , SLZ - MA16/01/2012 14:19
É muito triste quando a familia não acolhe bem o gay, visto que é uma questão de educação, tem que existir a quebra da barreira dentro da diversidade, não adianta ignorar,quando aceitar a diferença do outro, o PROGRESSO se torna um bem maior, e felicidade geral na familia, o AMOR é maior que tudo! vamos explodir amor dentro da familia, para que todos sejam felizes sem preconceito,e ambiente familiar seja ACOLHEDOR.
ITS GET BETTER16/01/2012 13:56
ITS GET BETTER16/01/2012 13:56
ESTA CAMPANHA COMECOU AQUI PRA DIMINUIR O BULLING E SUICIDIO DE JOVENS GAYS E ATE O PRESIDENTE E TODA A CLASSE ARTISTICA ,TODOS NAO GAYS OU MESMO SIMPATATIZANTES,ADERIRIAM EM MASSA POR SE ENTENDER QUE SE NASCE GAY E NAO HA O QUE SE FAZER ..QUEM TEM DE SE TRATAR E A SOCIEDADE E ACITAR-LOS COMO ALGO NORMAL ..NO BRASIL COM TODO MALDITO LEGADO CATOLICO E AFRICANO O PRECONCEITO E BULLING SOFRIDO DENTRO DE CASA ULTRAPASSA MUITO OS 90%.PERGUNTE A QQ GAY E VERAS AS HISTORIAS HORRIVEIS ..DAI O ENORME NUMERO DE TRAVESTIS ,NAO HA ISSO EM OUTROS PAISES..ENTRE OS GAY HA O 7VX MAIS ABANDONO DE ESCOLA..A GLOBO PODERIA EDUCAR ESTE POVO ANIMAL..DAO A MUNDO A IDEIA DE POVO AMOROSO MAS A VERDADE E FEIA....A GLOBO COM SUAS TELENOVELAS SMENTE PIORA A SITUACAO ,VCS JA VIRAM A ANA MARIA BRAGA DEFENDER GAYS..NEVER..AI GAY E CHACOTA.ATE VC SE ATACAM MUTUAMENTE ,algo que nao entendo aqui nos usa os gays se unem pra tudo ai no brasil SMENTE SE OFEDEM ,AQUI MESMO E UM OFENDENDO O OUTRO..APRENDEMOS EM CASA O ODIO DOS NOSSOS FAMILIARES E EXPRESSAMOS CONTRO O NOSSO PROXIMO MAS DEVERIA SER DIFERENTE O GAY DEVERIA TER UMA IMAGEM SAUDAVEL DE SUCESSO ,NAO HA AI UM ARTISTA GAY SUCEDIDO QUE DE AS CARAS .NADA HA INFELISMENTE OS ANOS PASSAM E O BOSTIL PERDE-SE.QUER SER RICO MAS A AFRICA PROFUNDA E ARRAIGADA E NAO SE VAI,PRTANTO GAYS EDUCAI-VOS...
Leitor16/01/2012 13:07
Leitor16/01/2012 13:07
Olha o uso de imagem com direitos!!! Sei que o assunto sobre homofobia é sério, mas vamos respeitar também os direitos autorais, gente. Qual a moral de cobrar respeito???
Marcelo16/01/2012 12:45
Marcelo16/01/2012 12:45
Conheci alguns casos similares que esta atitude acabou empurrando os rapazes para a prostituição. Quando as famílias entenderão que orientação sexual não tem nada com religião? Quando padres pastores ao invés de fixarem-se só na bíblia, farão um estudo psicanalítico da sexualidade para melhor orientar seus seguidores?
Faça seu comentário!
Nome

Faça seu comentário:

LEIA TAMBÉM
LEIA MAIS
22/10/2014 NOTíCIAS » Ator diz que está assustado, após ser abordado por homofóbico e levar soco no olho.
22/10/2014 NOTíCIAS » Leonardo e Xana viram héteros, e autor é criticado por cura gay.
21/10/2014 NOTíCIAS » Argentina concede refúgio a gay russo e pode virar destino para vítimas.
21/10/2014 NOTíCIAS » Confira quais são os avanços dos direitos gays no mundo.
20/10/2014 NOTíCIAS » Eles ficam com homens e negam ser gays. Conheça os g0ys de Brasília!
20/10/2014 NOTíCIAS » Vaticano divulga mensagens e pede respeito aos homossexuais.
17/10/2014 NOTíCIAS » Otaviano Costa ganha selinho de Rodrigo Hilbert em Amor & Sexo.
17/10/2014 NOTíCIAS » Delicie-se com os strippers virtuais do Câmera Privê: prazer sem limites pra você!
Pedro
Twitter
Facebook
© Copyright 2013 MundoMais. Todos os direitos reservados.